Em Foco

Lula da Silva salienta que Angola tem no Brasil “um parceiro e um amigo”

25-08-2023 8:52

Jornal Económico

Lusa

25-08-2023 8:52

Jornal Económico

Lusa

O Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, disse hoje em Luanda que “Angola tem no Brasil um parceiro e um amigo”

O Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, disse hoje em Luanda que “Angola tem no Brasil um parceiro e um amigo”.

Lula da Silva, que intervinha numa sessão solene do parlamento angolano, realizada para assinalar a sua visita de Estado de dois dias a Angola, que hoje se iniciou, salientou o “orgulho” do Brasil em ter sido “o primeiro país do mundo a reconhecer” a independência de Angola.

“Temos orgulho de fazer parte da moderna história deste país. Uma história rica e vitoriosa, que bem exemplifica a capacidade das nações africanas de assumir o seu próprio destino” destacou Lula da Silva, frisando que a sua visita “marca o reencontro do Brasil com África, relança a cooperação bilateral e prepara uma agenda robusta para comemorar, em 2025”, os 50 anos de relações diplomáticas.

O Presidente brasileiro salientou que o Brasil e Angola têm “semelhanças e afinidades profundas” e considerou que “as matrizes africanas são constitutivas” da identidade nacional brasileira.

Com a sua visita a Angola, Lula da Silva disse querer “inaugurar uma nova agenda de cooperação (…) que também sirva de modelo para outros países” e defendeu que o Brasil “tem condições de voltar a ser um grande parceiro de Angola no seu desenvolvimento”.

Um desenvolvimento, acrescentou, “fundado no fortalecimento da agricultura e da indústria, no progresso científico e tecnológico, em transição energética e na proteção do meio ambiente e da biodiversidade”.

“Outro desafio que precisamos enfrentar juntos é o de encontrar novas fontes de energia, que possam frear os efeitos devastadores da mudança do clima. O Brasil vem trabalhando em soluções há mais de quatro décadas. Com os biocombustíveis, chegamos a uma opção viável, limpa, relativamente barata e acessível a boa parte dos países do Sul”, destacou.

“A consolidação dos mercados de bioenergia permitirá que a África em breve disponha de nova fonte de recursos para financiar as suas necessidades de desenvolvimento”, afirmou, defendendo que Angola, devido à floresta tropical que tem “é uma aliada natural dos países amazónicos na busca por uma remuneração justa pelos serviços que esses biomas e sua biodiversidade prestam ao mundo”.

Na sua intervenção, a presidente da Assembleia Nacional angolana, Carolina Cerqueira, saudou Lula da Silva, a quem Angola reconhece os “grandes atributos de um estadista, de um diplomata, de um defensor intransigente dos mais desfavorecidos, de um dos maiores políticos do século XXI”.

“O mundo que queremos, senhor Presidente, é um mundo onde a cooperação Sul-Sul seja forte e próspera, para que sejamos os protagonistas dos nossos destinos, dos nossos desejos e do nosso futuro”, salientou Carolina Cerqueira, citando as palavras de Lula da Silva na recente cimeira dos BRICS, realizada em Joanesburgo.

“Este mundo precisa do Brasil, uma nação diversa, múltipla e progressista”, vincou.

Lula da Silva deixa Luanda no domingo de manhã, partindo para São Tomé e Príncipe para participar na XIV Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Partilhar nas Redes Sociais

WhatsApp
Facebook
Twitter
Email

Exclusivos