Finanças & Wall Street

A minúscula obra da responsabilidade do Presidente

24-10-2022 11:20

Cândido Mendes

Director Executivo

24-10-2022 11:20

Cândido Mendes

Director Executivo

Uma piada com tonalidade de “seriedade” que se dizia haver estradas esburacadas, fora de Luanda, que, mesmo passando defronte dos edifícios do Governo Provincial ou sua residência e implorando por socorro, o governador local não tinha competências para reabilitá-las se fossem da “esfera de responsabilidade central”, portanto, dependente das distantes autoridades em Luanda

Analistas económicos e políticos dizem repetidas vezes que é este tipo de excessiva concentração e centralização de decisões na capital que contribui para o atraso das demais regiões do país.

Examinando os “últimos” pagamentos do Serviço Nacional de Contratação Pública Nacional, do Ministério das Finanças, publicadas no seu site, há uma obra no Porto Amboim, Cuanza-Sul, cujo ‘responsável’ é… o Presidente da República.

Não se trata da construção de um hospital, ou reabilitação do Porto Pesqueiro, que talvez a sua grandeza justificasse o envolvimento do Presidente. Trata-se “somente” de uma empreitada de asfaltagem de 20 km da estrada cuja obra terá durado, no papel ao menos, apenas 20 dias naquela cidade pesqueira.

A obra terá custado 2 mil milhões de kwanzas, tendo iniciado a 23 de Julho de 2021 e concluída a 12 do mês seguinte.

De mais de seis centenas de contratos aprovados para pagamento e analisados pel’O Telegrama até 25 de Outubro, mais um é atribuído à responsabilidade do Presidente da República.

Trata-se das obras de reabilitação de 21 edifícios na urbanização Vida Pacífica que terão custado 23,8 mil milhões de kwanzas, uma média de 1,13 mil milhões por edifício.

Partilhar nas Redes Sociais

WhatsApp
Facebook
Twitter
Email

Exclusivos